Vocês sabiam que existe um nome para quem tem medo excessivo de ter filhos? Bom, o nome é tocofobia. Socialmente crescemos ouvindo a frase “toda mulher nasceu para ser mãe”, mas isso não é verdade, afinal temos aquelas mulheres que não querem de forma alguma colocar um ser humano no mundo e por diversos fatores.

Às vezes, a cobrança excessiva para que sejamos mães, pode gerar uma fobia do parto ou da gravidez toda em si, gerando até mesmo um descontrole emocional: crises de pânico, variações de humor, vômitos e etc., ou seja, o medo é tanto que pode causar sintomas reais.

“Objetivamente, nem toda mulher nasceu para ser mãe e se ver cobrada disso, de gerar outra vida, ser responsável por ela e viver o momento intenso do parto pode gerar uma ansiedade com sintomas intensos”, afirma a Dra. Gabriela Aragão, psiquiatra.

Atenção: é importante saber que durante a gravidez, o medo do parto em si, não é considerada uma tocofobia, mas medos normais que se têm na gestação.

Homens também podem ter tocofobia?

Apesar de ser um medo mais corriqueiro em mulheres, homens também podem sofrer tocofobia. Alguns deles não querem ser pais ou desenvolver algum trauma familiar ao longo da vida.

“Em uma quantidade muito menor, mas pode acontecer do homem experimentar sentimentos de ansiedade intensa, de muito medo na ideia da paternidade ou de quando a parceira está grávida medo intenso a vivenciar o momento do parto. É ainda mais raro do que o diagnóstico em mulher, mas pode acontecer”, explicou a Dra. Gabriela Aragão.

Tem cura?

Existe cura, mas para isso é importante que a pessoa esteja disposta a entender a real situação ao longo do tratamento.

“O tratamento basicamente é feito como a maioria das outras fobias específicas, vamos começar um antidepressivo e encaminhar essa paciente para uma psicanálise ou psicoterapia. Eu, particularmente, gosto de orientar as mulheres de que hoje a gente já vive um momento de que nós somos donas do nosso corpo. Gestar ou não é uma opção nossa”, disse a Dra. Gabriela Aragão.

Contudo, pode existir a cura ou somente o controle da situação. Nem todas as mulheres conseguem se livrar desse medo, mas podem dar continuidade ao tratamento e aos poucos entender o quanto são donas de si.

“Pode ter cura e pode ter só controle. Aqueles que se engajam bem em uma psicoterapia e no tratamento psiquiátrico podem experimentar a cura, principalmente aquelas que compreendem que não tem a obrigação de gestar, se for um desejo delas elas podem tratar e viver esse momento com mais tranquilidade. Se não for um desejo delas tudo bem, elas não estão falhando em uma etapa da vida”, concluiu a Dra. Gabriela Aragão.

Atenção, este texto não substitui uma consulta com um especialista. Em qualquer sinal de tocofobia ou outros medos procure um médico.